Skip to main content
Menu

PGR notifica João e governadores para reforçar segurança após ameaça de ataques

A Procuradoria-Geral da República (PGR) notificou o governador João Azevêdo e outros gestores estaduais, além de secretários de segurança pública e comandantes-gerais das Polícias Militares dos Estados e do Distrito Federal para que reforcem a segurança nas capitais e principais cidades nesta quarta-feira (11/01/2023). A manifestação foi enviada na noite dessa terça-feira (10/01/2023) ao Supremo Tribunal Federal (STF).

A providências decorre da circulação de mensagem sobre suposta mobilização antidemocrática que estaria sendo articulada para essa data. O fato chegou ao conhecimento do Ministério Público Federal (MPF) por meio do canal de denúncias aberto pela instituição para receber informações sobre os atos de vandalismo do último domingo (08/01/2023).

Ainda na noite de terça-feira, a PGR instaurou procedimento para apurar o caso. Na manifestação enviada ao STF, o coordenador da Câmara Criminal do MPF, subprocurador-geral da República Carlos Frederico Santos pediu ainda que os responsáveis pelas medidas de segurança nos estados sejam orientados a monitorar “todos os possíveis eventos e identifiquem os manifestantes, promovendo, caso haja a prática de algum crime, a prisão em flagrante”. A medida tem o propósito de assegurar a eventual apuração e responsabilização dos envolvidos.

Outra providência solicitada junto ao STF foi no sentido de que o Ministério da Justiça seja informado e orientado a solicitar que “os órgãos de inteligência e da Polícia Federal promovam o levantamento e acompanhamento das eventuais manifestações, adotando as providências investigatórias cabíveis, assim como para reforçar a segurança por meio da Força Nacional”.

Ainda na noite de terça-feira, a existência da mensagem foi informada aos coordenadores Criminais e dos Gaecos das Procuradorias da República de todo o país para que possam atuar junto às forças públicas locais para reforçar a segurança nas capitais e cidades mais importantes de cada Estado. O objetivo é que haja monitoramento de eventuais atos ilegais, assegurando a identificação, pelas polícias, de eventuais agentes que cometerem ilícitos penais e para posterior apuração das respectivas condutas.

HW COMUNICAÇÃO

Fonte: Mais PB com PGR

Seja o primeiro a escrever um comentário.

Deixe uma resposta

Os campos obrigatórios estão marcados *

Você precisa estar logado para enviar um comentário

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE