Skip to main content
Menu

Justiça obriga Padre Egídio a pagar R$ 15,4 mil em taxas de condomínio atrasadas

Dois condomínios de luxo na praia do Cabo Branco, em João Pessoa, estão cobrando na Justiça mais de R$ 15,4 mil em taxas de condomínio do padre Egídio de Carvalho Neto.

O sacerdote foi preso em novembro do ano passado, na Operação Indignus – que investiga fraudes e desvios de recursos públicos destinados ao Hospital Padre Zé.

As ações foram movidas pelos condomínios Saulo Maia e Luxor Paulo Miranda Home Service. A Justiça deu prazo de três dias para Egídio pagar as dívidas, sob pena de penhora dos bens.

Pedido de habeas corpus ainda será julgado
A defesa de Padre Egídio protocolou um pedido de habeas corpus no Superior Tribunal de Justiça, pedindo a revogação da prisão preventiva.

Em primeira decisão, no dia 28 de novembro, o ministro Teodoro Silva Santos negou o habeas corpus ao religioso.

A defesa, então, recorreu da decisão, e o recurso será julgado no dia 20 de fevereiro.

HW COMUNICAÇÃO

Fonte: Portal Correio

Seja o primeiro a escrever um comentário.

Deixe uma resposta

Os campos obrigatórios estão marcados *

Você precisa estar logado para enviar um comentário

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE