Skip to main content
Menu

Estelionato digital na Paraíba cresceu 500% em 2022; Brasil teve 208 casos por hora

O estado da Paraíba teve mais de 400 registros de crimes de estelionato digital no ano passado. Um crescimento de mais de 500% em relação a 2021, confirmo as informações do Anuário Brasileiro de Segurança Pública.

O estelionato passou de 1,8 milhão de casos, com aumento de 37,9% entre 2021 e o ano passado. Os dados são do 17º Anuário de Segurança Pública publicados nesta quinta-feira (20/07/2023).

Em relação ao estelionato digital teve um crescimento de 65,2% e chegou a 200,3 mil ocorrências, segundo as informações do Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

O que é estelionato?

O crime de estelionato está previsto no Código Penal Brasileiro, mais especificamente no artigo 171. Ele é caracterizado como um crime contra o patrimônio, que envolve a obtenção de vantagem ilícita, induzindo ou mantendo alguém em erro mediante fraude.

Artigo 171 do Código Penal Brasileiro:
Obter, para si ou para outrem, vantagem ilícita, em prejuízo alheio, induzindo ou mantendo alguém em erro, mediante artifício, ardil ou qualquer outro meio fraudulento.

“Isso significa que o estelionato ocorre quando alguém engana outra pessoa, utilizando artifícios enganosos ou fraudes, para obter vantagens financeiras ou patrimoniais, causando prejuízo à vítima. É importante ressaltar que o estelionato é um crime que exige dolo, ou seja, a intenção deliberada de enganar, e que há uma lesão patrimonial à vítima”, destaca o advogado especialista em direito penal, econômico e cibernético, Gustavo Botto.

O que é estelionato digital?

É tão somente o crime de estelionato previsto no art. 171 do Código Penal, praticado digitalmente, utilizando-se da internet, dispositivos eletrônicos, redes sociais, e-mails, aplicativos de mensagens ou qualquer outra tecnologia online para enganar as vítimas e obter vantagens ilícitas.

Esse tipo de crime está diretamente relacionado ao crescente uso da tecnologia e da internet na sociedade. Os criminosos que praticam o estelionato digital exploram a ingenuidade, a falta de conhecimento ou a confiança das pessoas para aplicar seus golpes. Eles geralmente utilizam técnicas de engenharia social e outras artimanhas para convencer as vítimas a fornecerem informações pessoais, como senhas, números de cartão de crédito, dados bancários ou até mesmo realizarem pagamentos indevidos.

Veja taxa de casos de estelionato por estado:

O especialista Gustavo Botto dá orientações a população:

1. Desenvolva o hábito de verificar a autenticidade de sites: Antes de fornecer informações pessoais, especialmente em sites de compras, bancos ou páginas de login, verifique se o site possui o certificado SSL (representado por “https://” na URL) e se o endereço está correto. Evite clicar em links suspeitos recebidos por e-mail ou mensagens.

2. Fortaleça suas senhas: Use senhas fortes, com uma combinação de letras maiúsculas e minúsculas, números e caracteres especiais. Evite senhas óbvias, como “123456” ou “senha”, e não utilize a mesma senha para diferentes contas.

3. Tenha cuidado com e-mails e mensagens suspeitas: Não clique em links ou abra anexos de e-mails ou mensagens de remetentes desconhecidos ou suspeitos. Fique atento a erros de ortografia, solicitações urgentes e promoções muito tentadoras.

4. Desconfie de ofertas muito boas para serem verdadeiras: Desconfie de produtos ou serviços com preços muito abaixo do mercado ou ofertas que parecem ser muito vantajosas. Verifique a reputação do vendedor e faça compras em sites confiáveis.

5. Use autenticação de dois fatores (2FA): Ative a autenticação de dois fatores sempre que possível, pois ela adiciona uma camada extra de segurança, exigindo uma segunda forma de verificação além da senha, como um código enviado por SMS ou gerado por um aplicativo de autenticação.

6. Mantenha o software atualizado: Mantenha seu sistema operacional, programas e aplicativos atualizados, incluindo o antivírus e o firewall, para garantir que você tenha as últimas correções de segurança.

7. Cuidado com redes Wi-Fi públicas: Evite realizar transações financeiras ou acessar informações sensíveis em redes Wi-Fi públicas, pois elas podem ser menos seguras. Se necessário, utilize uma rede virtual privada (VPN) para criptografar sua conexão.

8. Verifique o extrato bancário e cartões de crédito regularmente: Fique atento às suas transações financeiras e verifique periodicamente seus extratos bancários e faturas de cartão de crédito em busca de atividades suspeitas.

9. Eduque-se constantemente: Mantenha-se atualizado sobre os diferentes tipos de golpes e fraudes na internet. Conhecimento é uma das melhores formas de se prevenir contra ataques.

10. Relate atividades suspeitas: Se você suspeitar de um possível estelionato digital ou fraude, denuncie à polícia ou aos órgãos responsáveis, e também informe a empresa ou instituição afetada.

Fonte: Secretarias estaduais de Segurança Pública e/ou Defesa Social, Polícias Civis, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

HW COMUNICAÇÃO

Fonte: Mais PB

Seja o primeiro a escrever um comentário.

Deixe uma resposta

Os campos obrigatórios estão marcados *

Você precisa estar logado para enviar um comentário

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE