Skip to main content
Menu

“A Política é feita de meias Verdades, muitas Mentiras e de Interesses Obscuros”, por Henio Wanderley

A Política do Brasil, é um verdadeiro campo para a corrupção ‘reinar’.

Coerência, caráter, integridade e ética, é para uma minoria muito ‘minúscula’ dentro desse campo chamado política.

Os chamados ‘homens’ ‘sérios’, hoje quase não existem mais dentro da política, inclusive são raríssimos de se encontrar. Infelizmente, o que temos em sua maioria, são verdadeiros abutres, raposas ou simplesmente lobos revestidos de cordeiros, que vivem a enganar a população, principalmente aqueles tidos como menos esclarecidos.

A política brasileira, se tornou um verdadeiro campo para meias verdades, muitas mentiras e de interesses obscuros.

É preciso compreendermos que esse cenário precisa ser mudado com urgência.

Discursos inflamados, nem sempre mostram coerência, nem tão pouco, que estão lutando por melhorias para a coletividade.

O que muitas vezes parece ser uma defesa de interesses coletivos, não passa de meias verdades, pautadas em buscar privilégios ou vantagens em ‘troca’ de ‘favores’ [apoios].

Em outras palavras, as ‘lutas’ não são por melhorias coletivas, mas interesses próprios e obscuros.

Para mudarmos essa ‘realidade’, o eleitorado brasileiro precisa rever conceitos e principalmente, aprender a votar.

O eleitor precisa ser mais participativo, do contrário continuaremos a ter um cenário onde perpetua a ‘corrupção’.

Cenário que os abutres, as raposas e os lobos, querem que perpetue por muitos e muitos anos, ou seja, que não tenha fim.

É preciso que compreendamos que esse cenário precisa mudar, para o bem de todos.

Cenário que só favorece os que querem se perpetuar no poder, vivendo de regalias, bancadas pelo suor do povo trabalhador que é crucificado com os mais diversos impostos.

Isso precisa acabar, do contrário, o povo vai viver cada vez mais sufocado pela indústria dos impostos que lamentavelmente não são revertidos em benefícios como deveriam.

Já passou da hora de revermos que é necessário que se acabe com a ‘indústria’ da criação de siglas partidárias no Brasil.

Também é necessário que se moralize nossa política, cada vez mais corrupta.

Cada vez mais cheia de abutres, raposas e lobos, que só querem se dar bem, enquanto muitos vivem sem ter o que comer, enquanto muitos passam frio, sem ter um simples cobertor. Enquanto que os ‘Palatinos’ da moralidade, vivem usufruindo de luxos e regalias.

Nos estados, assim como no Brasil, os partidos políticos são literalmente uma ‘propriedade’ de alguém, que manda e desmanda da forma que quer e como quer, na busca de seus ‘interesses’.

Os ‘donatários’ nos estados, detém o ‘poder’ sobre os diretórios, porém são submissos ao presidente nacional da legenda que impõe seu ‘poder’ para garantir seus ‘desejos’ e ‘interesses’ [cargos na esfera Federal].

Foram muitos os casos que nós já vimos de diretórios que foram ‘dissolvidos’ por não seguir a orientação do ‘donatário’ [que defendem seus próprios interesses] do partido no Estado.

Ou de ‘donatário’ que foi ‘destituído’ do comando ou até mesmo expulso por não seguir a determinação ou ‘orientação’ do dono da sigla que se sentiu afrontado e que precisa da ‘aceitação’ de todos.

Ora, nós já vimos, presidentes de diretórios querendo ameaçar de ‘tomar’ mandato de outros ‘membros’ do partido sem nenhum embasamento jurídico, somente pelo fato de ter sido contrariado.

Infelizmente o que se percebe no Brasil, é que os partidos viraram moeda de troca para corruptos que muitas vezes se colocam como ‘Palatinos’ da ‘Moralidade’, que dizem que estão para defender nossos ‘interesses’, mas que na verdade só pensam em se mesmos e em se dá bem, pouco se importando com a população.

Como eu falei, no início.

Também é necessário que se moralize nossa política, cada vez mais corrupta.

Os muitos partidos, são apenas uma espécie de CNH, que os habita a disputar e exercer cargos eletivos (Executivo/Legislativo), sem que seja necessário que o ‘político’ tenha qualquer identificação com o ‘Estatuto’ da sigla.

Muitos se quer, sabem o que rege ou o que defende o Estatuto da sigla ao qual se filiam, isso porque a legenda é apenas uma habilitação para que se cheque ao poder.  

No Brasil, existem siglas e mais siglas, chamadas de Direita, Extrema-direita, Centro, Esquerda, Extrema-esquerda e por aí vai.

Todas com seus estatutos, que na maioria não é seguido por seus filiados, que até me atrevo a dizer que uma grande parte se quer tem conhecimento do que rege a cartilha da sigla.

Infelizmente, o que se ver é que a maioria dos partidos serve apenas como ‘moeda’ de ‘troca’ para seus ‘líderes’ ou ‘donos’ se darem bem as custas da população.

E, para se dar bem, não existem escrúpulos, não existe vergonha, não existe integridade ou caráter, o importante é se dar bem e em muitos os casos ‘meter’ a ‘mão’ no dinheiro público como tanto já se viu e ouviu falar nesse País [Mensalão, Petrolão, Lava-Jato, Calvário, Sangue Suga, Banestado, Zelotes, dentre outros].

Para finalizar, infelizmente o que se percebe é que “A Política é feita de meias Verdades, muitas Mentiras e de Interesses Obscuros” (Henio Wanderley).

HW COMUNICAÇÃO

Seja o primeiro a escrever um comentário.

Deixe uma resposta

Os campos obrigatórios estão marcados *

Você precisa estar logado para enviar um comentário

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE