Os vereadores: Augusto Barbosa de Sousa Neto, Francegildo Franklin de Oliveira, Joilton Alves Monteiro, João Pereiro da Silva apresentaram denúncia contra o Presidente do Legislativo de Jericó, Kadson Valberto Lopes Monteiro.

A representação que circula no Tribunal de Contas do Estado, que o período ordinário inicia no dia 1ª de fevereiro, porém em janeiro de 2017, ao tomar posse, o atual Presidente, Kadson Valberto Lopes Monteiro, teria apresentado despesas que em tese não poderiam em virtude do recesso legislativo.

“Curiosamente, neste período de recesso, o Senhor Presidente empenhou e pagou despesas que só existiram, ou pelo menos só poderiam existir com a Câmara em pleno funcionamento. Desta forma vê-se como gastos indevidos, provável desvio de recurso público, devendo o responsável ser punido na forma da lei, inclusive, segundo a Lei da Responsabilidade fiscal”, alerta texto da Lide apresentada pelos Vereadores denunciantes.

Outro ponto apresentado na denúncia contra o presidente da Câmara de Vereadores de Jerico foi contratação de Advogado no mês de janeiro, quando estava em período de recesso. Gasto de R$ R$ 1.648,00 com combustível colocado em Veículo Voyage de placa OFG 4189, equivalente a 415 litros, uma vez que o veículo deveria está parando e não em missão oficial.

A representação contra o Presidente da Câmara de Vereadores de Jericó, Kadson Valberto Lopes Monteiro, revela que ele é Gestor do Legislativo desde 2013.
Diante dos fatos apresentados, o Tribunal de Contas do Estado, expediu intimação eletrônica comunicando ao presidente da Câmara de Jericó que a prestação de contas referente a 2017 deverá entrar em pauta de julgamento no dia 26 de setembro de 2018.

Repórter PB