O vice-presidente e articulador político do governo Michel Temer disse nesta terça-feira (21) que os partidos de oposição não devem ser contrários ao governo apenas porque perderam a eleição. 

Em seu segundo dia de palestras em Nova York, Temer falou na American Bar Association, seção da Ordem de Advogados, sobre os desafios institucionais e a coordenação política no Brasil. 
Lembrou que assumiu a articulação política em um momento “um pouco complicado da economia brasileira”. 
“A coordenação política requer construir as condições para a governabilidade e implica diálogo com o objetivo de ouvir demandas, acomodar interesses e somar contribuições. Não me peçam para apagar incêndio com gasolina. Eu apago incêndio com água”, frisou o vice-presidente.

Após a palestra, perguntado sobre a crise política no país depois do anúncio do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), de rompimento com o governo da presidenta Dilma Rousseff, o vice-presidente reafirmou que a divergência de Cunha é de natureza pessoal e não representa a posição atual do partido.

“Não significa uma crise institucional. Pode ocorrer que o PMDB resolva deixar o governo especialmente se, em 2018, pretender ter uma candidatura presidencial. Mas vai fazê-lo singelamente, suavemente, como uma questão política e não uma questão de atrito pessoal”, afirmou.

HW COMUNICAÇÃO Com Agência Brasil

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.