Um dos bandidos acusados do rapto, estupro e atropelamento de duas mulheres paraibanas tentou se matar hoje, depois de ser preso e levado para a Central de Polícia.
Ivar Pedro da Silva foi apontado pelas autoridades policiais como o responsável pelos atos mais terríveis cometidos na zona rural de Goiana contra duas mulheres abordadas na porta da casa de uma delas, ao sair de uma festa infantil no bairro dos Bancários, em João Pessoa. 
Teria sido ele o responsável pela ameaça, alegando ter uma arma, rapto e pelo estupro de ambas, além de ter amarrado o filho de uma das mulheres, um bebê de nove meses no mato. 
Da mesma forma, ele teria atropelado as vítimas usando o carro de uma delas. Leonardo José de Sousa, outro preso por envolvimento no caso, teria dado suporte à ação, em uma motocicleta, mas sua ação se restringiria à intenção de roubar o veículo das vítimas.
Depois de preso, Ivar tentou se matar e chegou a cortar os pulsos utilizando um pedaço de azulejo da cela. Na Central de Polícia de João Pessoa, ele foi atendido por uma equipe do Samu. 
Os ferimentos causados pelo bandido, contudo, foram superficiais. Na entrevista coletiva concedida no fim da tarde de hoje, ele apareceu com curativos na região cortada.
O delegado Marcos Paulo informou que em seu depoimento, Ivar disse que tinha usado cocaína antes do crime e estaria sob efeito da droga no momento em que abordou as duas mulheres. 
A intenção inicial da dupla, que estava bebendo em um bar em Mangabeira VIII antes de sair à procura de vítimas, era de roubar um carro. O crime, todavia, mudou de rumo por causa de Ivar, que decidiu estuprar as mulheres.
A delegada Roberta Neiva acrescentou que não houve nenhuma outra motivação para a crueldade que envolveu esse episódio: “Foi apenas a maldade humana. E eles não demonstram arrependimento”, resumiu ela.
HW COMUNICAÇÃO com Parlamento PB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here