Rússia e Qatar podem deixar de ser as sedes das Copas do Mundo de 2018 e 2022. 
É  o que admitiu o chefe de auditoria da Fifa, Domenico Scala ao jornal suíço “Sonntags Zeitung” neste domingo (07).

A mudança pode ocorrer se surgirem provas de corrupção no processo de escolha das duas sedes.

O Ministério Público suíço e o FBI estão investigando o caso, interrogando eleitores que participaram da votação na época em que os dois países foram escolhidos. Scala acrescentou que a decisão final será do Comitê de Ética da Fifa.

Na votação para a escolha da sede de 2018, a Rússia derrotou as candidaturas conjuntas de Bélgica e Holanda, de Portugal e Espanhada e da Inglaterra.

Já o Catar ganhou o direito de sediasr a Copa de 2022 contra Estados Unidos, Austrália, Coreia do Sul e Japão.

Enquanto dirigentes do Catar alegam ser vítima até de racismo, o Kremlin acusa o FBI de manipular as prisões para retirar a Copa da Rússia devido à crise que está isolando o presidente Vladimir Putin do Ocidente, inclusive através de um embargo. 

Além da votação da escolha do Catar como sede, a organização da Copa de 2022 também é cercada de denúncias. 

O Jornal do Brasil publicou na semana passada uma entrevista exclusiva com a secretária-geral da International Trade Union Confederation (ITUC), Sharan Burrow, que denuncia uma série de violações de direitos humanos a trabalhadores que atuam nas obras de infra-estrutura para preparar a Copa do Mundo no Catar.

HW COMUNICAÇÃO com Jornal do Brasil

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here