O PSC na Paraíba estabeleceu o prazo de uma semana para definir aliança e o pré-candidato ao governo que vai apoiar nas eleições de outubro. O partido dialoga tanto com o MDB como também com o PV, mas o presidente do PSC, Marcondes Gadelha, disse que ainda trabalha pela unidade das oposições. Só que o partido espera até a próxima quinta-feira chegar a uma definição.

“O propósito é promover a união das oposições e nós achamos que com isso dá para eventualmente liquidar a eleição no primeiro turno, mas não tenho nada de concreto ainda, só conversações”, disse o deputado federal Marcondes. Para que essa unidade aconteça, um dos pré-candidatos a governador, José Maranhão ou Lucélio Cartaxo, vai ter que abrir mão da cabeça de chapa na eleição majoritária.

“Nesse momento, a posição do PSC ainda é aquela de lutar para juntar as oposições em um pacote só. Eu sei que não é uma tarefa fácil. Vou lutar até onde for possível. É claro que haverá um momento em que, ou acontece ou a gente desiste de vez e cada um vai para o seu lado. Eu espero até mais o menos a quinta-feira da próxima semana”, afirmou Marcondes.

O PSC tem pré-candidato a senador, que é o vice-prefeito Manoel Junior. Portanto, a aliança partidária que o partido pretende firmar tem que contemplar vaga na chapa majoritária.

HW COMUNICAÇÃO

Fonte: Click PB