Os professores da Universidade Federal de Campina
Grande (UFCG) decidiram entrar em greve, por tempo indeterminado, a partir do
dia 25 deste mês. 
A decisão foi tomada durante uma assembleia da
categoria, que teve o placar de 264 votos a favor  da greve contra 249
votos contrários. 
A greve vai atingir cerca de 17 mil alunos que
estudam nos 96 cursos de graduação oferecidos nos campi de Campina Grande,
Sumé, Cuité, Patos, Pombal, Sousa e Cajazeiras.
De acordo com a assessoria de comunicação da
Associação dos Docentes da UFCG (ADUFCG), os professores pedem valorização da
categoria e melhores condições de trabalho.
“Nosso pedido é com relação a reestruturação da
carreira dos professores, melhores condições de trabalho, valorização salarial,
tanto para os ativos quanto para os professores aposentados, e reajuste linear
de 27,3%”, informou a assessoria.
Ainda segundo a ADUFCG, a greve vai ser iniciada
por falta de negociações com representantes do Ministério do Planejamento e do
Ministério da Educação (MEC).
“Desde abril deste ano apresentamos as nossas
reivindicações e, de lá até agora, não tivemos nenhum posicionamento nem
contraproposta por parte do MEC e do Planejamento, que apenas informaram que
precisam realizar estudos de impacto econômico para dar o reajuste”, disse a
assessoria.
HW COMUNICAÇÃO com Portal Correio

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here