O Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público da Paraíba, divulgou, na manhã desta terça-feira (24/10), uma nota oficial sobre o caso envolvendo o prefeito interino de Bayeux, Luiz Antônio, flagrado supostamente negociando a divulgação de um material que comprometeria o prefeito afastado Berg Lima.

Na nota,  o Gaeco revelou estar investigando o gestor há mais de um mês e que os eventuais crimes praticados por ele não invalidam os atos que motivaram a prisão de Berg Lima, em julho deste ano.

O Gaeco ainda diz na nota que o fato é, na verdade, uma guerra política entre correntes adversárias, e que tem desdobramentos com perspectiva para as eleições do próximo ano. “O Gaeco não tem qualquer interesse em fomentar ou interferir na “guerra política” travada no município, mas tão somente apurar os fatos criminosos que, porventura, os agentes tenham praticado, quaisquer que sejam eles”, dizia trecho da nota.

O Ministério Público reafirmou ainda o seu compromisso de continuar na missão de fiel guardião da lei e fiscal da aplicação correta do dinheiro público nos 223 municípios da Paraíba.

HW COMUNICAÇÃO

Fonte: Portal Correio

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.