Realizada em todo o Brasil, a paralisação dos caminhoneiros chega ao terceiro dia com novas interdições na Paraíba. Mais uma vez os caminhoneiros interditaram as principais Rodovias que cortam o Estado.

Em João Pessoa, no trecho próximo das Três Lagoas, na altura do bairro de Oitizeiro, os dois sentidos das vias estão bloqueados com caminhões. Apenas carros de passeio estão sendo liberados. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), um local foi liberado desde noite desta terça-feira (22/05) e todas as interdições são parciais.

Na BR-230, em Campina Grande, o bloqueio continua. São três pontos de interdição: na entrada de Campina Grande, próximo ao posto de Santa Teresinha, e dois pontos na saída de Campina Grande em direção ao Sertão, próximo a São José da Mata e Soledade.

Os manifestantes continuam interditando parcialmente a BR-101 no trecho conhecido como Gauchinha, na saída de João Pessoa para Recife

Em Santa Teresinha, são quase dois quilômetros de caminhões parados. No início da manhã desta quarta, um caminhoneiro colocou o veículo cruzando a rodovia e atrapalhou o fluxo de carros. A Polícia Militar esteve no local e liberou o trânsito para carros de passeios.

No Cariri paraibano, na BR-412, há dois pontos de interdição. Um no município de Boa Vista e outro no município de Monteiro.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF), emitiu um alerta para que os motoristas evitem trafegar pelo Viaduto de Oitizeiro, devido ao caos no trânsito causado pelo protesto.

Há também aglomeração de caminhoneiros nas imediações do Porto de Cabedelo, impossibilitando a distribuição de gasolina e diesel para Postos de Combustíveis, que já estão fechando por causa da falta dos produtos.

Ontem o Governo Federal anunciou que vai zerar a cobrança de impostos sobre combustíveis, mesmo assim a categoria decidiu manter a manifestação.

O protesto dos caminhoneiros contra os sucessivos aumentos no preço dos combustíveis parece não ter data para se encerrar.

Os caminhões também estão parados no Porto de Cabedelo impedindo o carregamento de mercadorias, dentre elas o combustível. São mais de 150 veículos parados aguardando uma resposta do governo.

O movimento deverá continuar nesta quarta-feira (23/05), porque a categoria não viu nenhuma sinalização do governo para uma solução do preço do diesel.

A partir de agora, até mesmo os 30% de abastecimento de caminhões para levar aos postos, que estava sendo autorizado pela categoria não será mais permitido. Somente serão liberados cargas para abastecer geradores de hospitais.

HW COMUNICAÇÃO

Fonte: PB Agora

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.