Este domingo (17) foi histórico para os cristãos do Oriente Médio. O papa Francisco canonizou as duas primeiras santas da era Moderna vindas do povo palestino e aproveitou o momento para pedir a paz na região.    
“Inspirando-se no exemplo de misericórdia, de caridade e reconciliação delas, os cristãos dessas terras devem aguardar com esperança o futuro, seguindo no caminho da solidariedade e da convivência fraterna”, destacou o Pontífice durante sua homilia.   

Jorge Mario Bergoglio ainda destacou a importância dos cristãos não serem individualistas. “A missão de anunciar Cristo ressuscitado não é uma tarefa individual, é para viver de modo comunitário. Não se trata de assumir um trabalho, mas sim um serviço”, destacou.   

Além das, agora, santas Mariam Baouardy e Marie Alphonsine, o líder da Igreja Católica canonizou a italiana Maria Cristina da Imaculada Conceição e a francesa Giovanna Emilia de Villeneuve. Sobre as quatro religiosas, o sucessor de Bento XVI ressaltou os exemplos dados por suas vidas terrestres.   

“Permanecer em Deus e em seu amor para anunciar, com as palavras e com sua vida, a ressurreição de Cristo, dando testemunho da unidade entre nós e da caridade com todos. Isto fizeram as quatro santas hoje proclamadas. O seu luminoso exemplo entra em nossa vida cristã: como eu sou testemunho do Cristo ressuscitado? Como permaneço nele e derramo seu amor?”, questionou Bergoglio.   

Na cerimônia de hoje, estavam presentes mais de duas mil pessoas vindas do Oriente Médio e autoridades de diversos países da região, como o presidente da Autoridade Nacional Palestina, Mahmoud Abbas, e o Patriarca Latino de Jerusalém, monsenhor Fouad Twal. 

Apesar de toda a “crise” diplomática entre o Vaticano e a França, por causa da não aceitação de um embaixador gay, o ministro do Interior, Bernard Cazeneuve, também se fez presente na cerimônia.

HW COMUNICAÇÃO  com Agência ANSA

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here