O papa Francisco autorizou a criação de um tribunal para julgar bispos por “abuso de poder” em casos de acobertamento de pedofilia, anunciou nesta quarta-feira (10) o porta-voz do Vaticano, padre Federico Lombardi.

De acordo com Lombardi, o tribunal fará parte da Congregação para a Doutrina da Fé, enquanto as denúncias serão recolhidas pela Congregação para os Bispos, Congregação para a Evangelização e Congregação para as Igrejas Orientais. 

Além disso, o líder católico pediu que sejam fornecidos todos os recursos para investigar os casos de abusos sexuais de menores.

Foi estabelecido um prazo de cinco anos de vigência para as medidas. 

A decisão foi tomada após Francisco ouvir as recomendações da Pontifícia Comissão para a Proteção de Menores e se reunir com o chamado “C9”, grupo de cardeais nomeado pelo Papa para ajudar na reforma da Cúria Romana. 
A aceitação das propostas da comissão é vista como um passo importante para o processo, já que a ideia de julgar os bispos partiu de membros laicos da comissão, que foi instituída pelo Papa no ano passado para investigar casos de pedofilia. 
O órgão, formado por 17 pessoas, entre laicos e representantes de vítimas, tem o dever de informar a situação das crianças que sofreram pedofilia, sugerir medidas para serem adotadas e propor nomes de pessoas adequadas para a implantação sistemática destas novas iniciativas. 

HW COMUNICAÇÃO com Jornal do Brasil e ANSA

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here