Se o Brasil sofre há um ano com a goleada sofrida para a Alemanha na Copa do Mundo de 2014, o que dizer da Micronésia? 
Foram nada menos que 114 gols sofridos em três jogos (ou 270 minutos) pela equipe sub-23 do pequeno país da Oceania durante os Jogos do Pacífico de 2015, que valem vaga para as Olimpíadas de 2016. 
Encerrada a participação na competição, o treinador da seleção, o australiano Stan Foster, fez um diagnóstico honesto da campanha.

– Foram meninos contra homens. É muito difícil nesta fase inicial, é como se fosse um jardim de infância para nós. Temos que aprender e sabemos que vamos voltar. Temos que treinar mais e aprender novas técnicas – disse o treinador, apontando que o país ainda dá seus primeiros passos no futebol.

Os homens citados por Foster são os jogadores das seleções sub-23 de Taiti, Fiji e Vanuatu, que venceram a Micronésia por 30 x 0, 38 x 0 e 46 x 0, respectivamente, ao longo da competição. Já os garotos, que vivem em várias vilas espalhadas em uma vasta área do Oceano Pacífico, estão muito longe do futebol profissional ou algo parecido.

– A maioria parte deles nunca saiu sozinho de suas aldeias. Os levei para Guam (uma das ilhas que formam a Micronésia) outro dia e foi a primeira vez que alguns deles esteve em um elevador ou escada rolante. Foi um enorme passo para esses caras.
O último jogo, contra Vanuatu, consagrou o atacante Jean Kaltack, que balançou as redes 16 vezes na goleada. 
Ele segue vivo na disputa olímpica, com Nova Zelândia, Fiji e Papua Nova Guiné (a seleção anfitriã da competição).

Veja abaixo alguns dos gols sofridos pela equipe da Micronésia
Vanuatu 46 x 0 Micronésia
HW COMUNICAÇÃO com Globo Esporte

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here