O vice-prefeito de João Pessoa, Manoel Júnior (PSC), afastou, na noite desta segunda-feira (11/06), a possibilidade de aliança com o PSB para disputar a eleição para o Senado.

Em entrevista ao programa Frente a Frente, apresentado pelo jornalista Heron Cid, na TV Arapuan, o pré-candidato disse que se sentiria bem em qualquer chapa dos partidos que integram o campo da oposição.

“Eu me sentiria bem em qualquer das alianças que está no campo das oposições. Foi isso que sempre advoguei. Não me sentiria bem no campo do governo”, destacou.

O ex-deputado federal vê como precipitado o fechamento da chapa de Lucélio Cartaxo (PV) com Cássio Cunha Lima (PSDB) e Raimundo Lira (PSD) e demonstrou que ainda acredita que poderá ocupar uma das vagas na majoritária do PV.

“Houve uma precipitação no fechamento de chapa. Mas acho que isso não é uma definição porque não aconteceram as convenções. Eu estou fazendo o meu papel”, destacou.

Ele afirmou que não tem problema em integrar uma chapa com o senador José Maranhão (MDB), alvo de críticas suas antes de deixar o MDB. De acordo com Manoel Júnior, o objetivo era manter as oposições unidas.

Vice-prefeito de João Pessoa foi entrevistado no Frente a Frente, da TV Arapuan (foto: Wallison Bezerra)

“A crítica foi nesse propósito da unidade das oposições. Nenhuma mágoa, arrependimento ou ressentimento”, enfatizou.

Diante da competição com outros nomes que são conhecidos na política estadual, como Cássio Cunha Lima (PSDB) e Veneziano Vital do Rêgo (PSB), Manoel Júnior disse que vai estabelecer bandeiras sobre o que já fez no legislativo e também no Poder Executivo.

Manoel Júnior  negou que tenha pretensão de conquistar uma vaga no Senado para depois tentar se eleger prefeito de João Pessoa nas eleições 2020.

“Eu quero ser candidato para representar a Paraíba por oito anos no Senado Federal”, afirmou.

HW COMUNICAÇÃO

Fonte: Mais PB