O prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PT), tem mandado recados para o presidente do seu partido, no estado, Charliton Machado. 
Ele não vai abrir mão de pelo menos tentar manter todas as alianças administrativas para a disputa da reeleição, no ano que vem, mesmo que isso contrarie a orientação nacional da sigla petista. 
O entendimento é que não se ganha eleição dividindo, principalmente quando os hoje aliados podem migrar para a oposição.
Machado deu declarações recentemente de que o PT, em João Pessoa, tem aliado prioritário: o PSB. Não haveria, portanto, espaço para o PSDB e o DEM na chapa. 
O impedimento seria o fato de as duas legendas serem adversárias e críticas da presidente Dilma Rousseff. 
Para o dirigente petista, não haveria alinhamento ideológico entre as agremiações que justificasse o alinhamento. O pronunciamento surge no momento em que o PSDB e PMDB, hoje aliados, discutem candidatura.

Luciano Cartaxo, no entanto, segue no caminho contrário. Sabe que dificilmente o PSB abrirá mão do desejo de lançar candidatura própria no próximo ano. 

O governador Ricardo Coutinho (PSB) já disse que não tem dívida partidária com o PT, por isso, não está obrigado a retribuir o apoio recebido no ano passado. 
Os dirigentes estaduais do PSDB, por outro lado, estão dispostos a discutir um acordo, já que a sigla tem três vereadores na base aliada do prefeito.

Cartaxo, nesta semana, deixou bem claro que as portas estão abertas para todos os partidos que desejem trabalhar pela sua reeleição. 

Quer o PSDB e o PMDB, siglas que ensaiam candidaturas próprias, inclusive, com uma aliança entre elas. 

A lógica é a de que ele não pode repetir o erro de Cássio Cunha Lima (PSDB), no ano passado, que se achando eleito governador não quis o PT no arco de alianças, porque achava que Dilma Rousseff estava mal. Também não quis o PMDB.

HW COMUNICAÇÃO con Jornal da Paraíba

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.