A Justiça Federal determinou o bloqueio de R$ 137,5 milhões da construtora Mendes Júnior e de seus executivos para garantir o ressarcimento do dinheiro desviado da Petrobras. 
No total, o Ministério Público Federal (MPF) conseguiu, até o momento, o bloqueio de R$ 1,1 bilhão de empreiteiras e pessoas envolvidas no esquema de corrupção.

O bloqueio afeta os bens da Mendes Júnior Participações S/A, da Mendes Júnior Trading e Engenharia S/A, do ex-vice-presidente executivo da trading, Sergio Cunha Mendes, do ex-vice-presidente corporativo Ângelo Alves Mendes e de Rogério Cunha de Oliveira, Alberto Elísio Vilaça Gomes e José Humberto Cruvinel Resende, todos ex-funcionários do grupo.

Em abril deste ano, foram bloqueados R$ 153,9 milhões em bens da Jackson Empreendimentos S/A, de Engevix Engenharia S/A e do ex-vice-presidente das duas empresas, o executivo Gerson de Mello Almada.

Já no início deste mês, a Justiça Federal tornou indisponíveis R$ 544 milhões das construtoras Camargo Corrêa (R$ 242 milhões) e Galvão Engenharia (R$ 302 milhões). 

Na semana passada, o MPF obteve o bloqueio de R$ 282 milhões em bens da OAS S.A. e seus diretores.

HW COMUNICAÇÃO com Jornal do Brasil

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.