O Cruzeiro mostrou que é mesmo carrasco do River Plate vencendo os argentinos por 1 a 0, nesta quinta-feira, em pleno Monumental de Nuñez, em Buenos Aires. 
O resultado deixa a Raposa muito perto de uma vaga nas semifinais da Libertadores, situação que levou à loucura os celestes que marcaram presença na Argentina em bom número.
O gol do jogo foi anotado pelo atacante Marquinhos, que, na posição de centroavante, completou para as redes finalização de Gabriel Xavier. 
Com o triunfo, a Raposa fica muito perto das semifinais, precisando apenas de um empate jogando no Mineirão. 
Para o River Plate, a equipe terá que ganhar por dois gols de diferença dentro do Gigante da Pampulha para avançar. Se os argentinos devolverem o placar de 1 a 0, a vaga será decidida nos pênaltis.
O duelo da volta entre os dois gigantes de Brasil e Argentina está marcado para a próxima quarta-feira, no Mineirão, que estará lotado para apoiar a Raposa. 
Antes do confronto contra o River Plate, porém, os celestes terão compromisso pelo Campeonato Brasileiro, medindo forças contra a Ponte Preta, no Gigante da Pampulha.
O jogo – O torcedor do River Plate, que esperava o time pressionando o adversário desde o início do jogo viu a equipe com dificuldades e o Cruzeiro criando oportunidades. Com apenas quatro minutos, a Raposa já tinha concluído em gol duas vezes, cenário que diminuiu um pouco o ímpeto dos caciques, que gritaram muito antes de começar a partida.
Com dez minutos de jogo, o time da casa ainda não tinha ameaçado o goleiro Fábio, o que prova que os celestes dominaram as ações no Monumental de Nuñez. 
Com o passar do tempo, porém, o River Plate foi conseguido encontrar o posicionamento ideal, equilibrando as forças, mas com o Cruzeiro bem atento na marcação.
Taticamente ninguém ousou muito, o que produziu uma partida com poucos erros de ambos os lados. Uma das poucas falhas da defesa mineira aconteceu aos 16, quando Teo Gutiérrez saiu na cara de Fábio, que fez boa defesa. Para chegar ao gol adversário, o Cruzeiro apostou bastante nos tiros de média e longa distância e nos lances individuais, enquanto o River tentou as jogadas rápidas pelos lados campo.
Aos 27, o River Plate até chegou a mandar a bola para as redes com Teo Gutiérrez, mas a jogada já estava parada por impedimento. 
O panorama do jogo em Buenos Aires, que inicialmente se mostrava favorável ao time brasileiro sofreu alteração no fim da primeira etapa, com a equipe de Marcelo Gallardo fazendo uma leitura melhor do duelo, e tendo mais posse de bola.
Habilidoso, Martínez coordenou o meio-campo do River Plate e conseguiu colocar os companheiros na cara de Fábio em pelo menos dois lances que rasgaram a defesa cruzeirense, exigindo trabalho do goleiro. A pressão esperada pelos caciques só foi vistas nos instantes finais, mas sem a qualidade necessária para inaugurar o placar.
No retorno das equipes para o segundo tempo os argentinos adotaram uma estratégia bem mais agressiva, marcando a saída de bola do Cruzeiro, na tentativa de forças o erro. Acuada, a Raposa optou por redobrar os cuidados defensivos para suportar a blitz ofensiva do River Plate. Com isso, o time da casa teve as rédeas do jogo.
As coisas só começaram a melhorar para o Cruzeiro após os 15 minutos, quando o River Plate diminuiu o ritmo intenso, permitindo os celestes criar algumas boas jogadas ofensivas. 
Apagado no jogo, o uruguaio De Arrascaeta pouco produziu, e foi substituído por Gabriel Xavier, que se movimentou mais em campo.
Aos 18, o armador fez boa jogada e deixou para Willian em condições de marcar, o atacante cruzeirense tocou na saída de Barovero, mas Vangioni salvou quase em cima da linha, na melhor oportunidade dos brasileiros em toda a partida. Os argentinos tentaram dar a resposta rápida com Sánchez, mas Fábio defendeu chute colocado.
No momento em que parecia que o jogo não teria gols, brilhou a estrela do atacante Marquinhos, que completou chute de Gabriel Xavier e calou os mais de 50 mil torcedores no Monumental de Nuñez, colocando o Cruzeiro em enorme vantagem para chegar as semifinais da Libertadores. O River ainda tentou o empate, mas não teve forças para reagir.
HW COMUNICAÇÃO com Gazeta Esportiva

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here