O Sousa foi condenado pelo juiz Paulo Roberto Vieira Rocha, titular da Vara do Trabalho no município de Sousa, e vai ter que pagar cerca de R$ 29,2 mil ao jogador Júnior Mineiro.

Ele pedia R$ 1,9 milhão. A quantia é referente a indenizações pedidas pelo jogador, que acionou a Justiça por, segundo ele, ter sofrido danos morais, demissão sem justa causa e não ter recebido salários enquanto era contratado do clube, no início deste ano.

O juiz deve proclamar a sentença final até o fim deste mês.

Segundo informações da Vara do Trabalho em Sousa, a sentença do processo foi dada no dia 10 deste mês.

Nela, o juiz acolheu a denúncia em parte e o Sousa foi condenado a pagar um total de R$ 29.234,82, referentes à indenização do jogador e de custos processuais.

Através dos advogados, o jogador Júnior Mineiro pediu embargos de declaração, instrumento utilizado para prorrogar o prazo antes da proclamação da decisão, para que fosse feita uma analise da sentença.

Ainda segundo a Vara do Trabalho em Sousa, o juiz Paulo Roberto Rocha deve proclamar a sentença até o fim deste mês, abrindo um prazo de oito dias para que o Sousa ou Júnior Mineiro possam recorrer.

O presidente do Sousa, Aldeone Abrantes, disse que o clube vai procurar pagar ao jogador, mas se esquivou quando foi questionado sobre um possível recurso no processo.

“É procurar pagar. Não tenho muito a declarar [sobre um possível recurso]. A questão esta entregue aos advogados”, disse Aldeone.

Relembre o caso

No processo, o jogador alegou que recebia R$ 4 mil mensais como salário, mas que o que constava na carteira de trabalho eram anotações de um salário mínimo. Júnior alegou também que foi contratado no dia 15 de dezembro de 2014, mas o registro na carteira foi feito inicialmente no dia 2 de janeiro deste ano.

O jogador também atestou que foi demitido sem justa causa, com o contrato extinto por falta de pagamento dos salários, e que não teria recebido os pagamentos de fevereiro e março por ter se machucado, mesmo ainda tendo contrato vigente.

Segundo o jogador, ele não teria recebido verbas rescisórias após ter sido demitido e que o Fundo de Garantia por Tempo de Serviços (FGTS) não havia sido depositado pelo clube.

HW COMUNICAÇÃO com Portal Correio

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here