O clima ficou tenso na noite desta quarta-feira (07/06), durante a escolha da mesa diretora para o biênio 2019/2020 da Câmara Municipal de Cajazeirinhas, no Sertão da Paraíba, após um fato inusitado.

O fato polêmico se deu quando a votação estava empatado em 2 a 2, concorriam a presidência da Casa Manoel R. de Sousa, os vereadores Joalex Rodrigues da Costa (chapa 1) e Maria Aparecida Dantas de Almeida (chapa 2), o quinto voto foi do vereador Ontoniel de Sousa Brito que no momento que foi expressar seu voto acabou dizendo que votava na chapa 2.

Ao anunciar o voto, o publico presente se manifestou com gritos e vaias, momento em que o parlamentar que disputava o cargo de vice-presidente na chapa 1, percebeu que havia expressado erradamente seu voto, voltando atrás dizendo que seu voto seria na chapa 1, encabeçada por Joalex, citando ainda os demais nomes que compõem a chapa.

Após o inusitado a sessão foi interrompida, sendo necessário um parecer jurídico que foi feito pelo advogado Jaques Wanderley e lido no reinício da sessão que terminou elegendo Joalex presidente para o biênio 2019/2020 com cinco votos contra quatro de  Maria Aparecida.

A reportagem do HW COMUNICAÇÃO conversou com o advogado Jaques Wanderley que comentou o ocorrido.

Jaques Wanderley (advogado)

O Legislativo de Cajazeirinhas é composto por nove parlamentares.

A chapa 1, foi composta pelos seguintes parlamentares: Joalex (presidente), Ontoniel (vice-presidente), Buriti (1º secretário) e Dr Waerson (2º secretário). Já a chapa 2, foi composta pelos seguintes vereadores: Maria Aparecida (presidente), Jacson (vice-presidente), Adailton (1º secretário) e Zildo Vicente (2º secretário).

O vereador Arildo Batista, foi o único a ficar de fora da composição das chapas, no entanto o parlamentar votou na chapa 1 que venceu o pleito.

A chapa 1, foi formada pela bancada de oposição ao prefeito Assis Rodrigues, enquanto que a chapa 2, era formada por vereadores da base governista.

Parlamentares da chapa derrotada, informaram que recorrerão a justiça na tentativa de reverter o voto do vereador Ontoniel a seu favor, por entenderem que após ser proferido, o voto, o parlamentar não podia voltar a trás.

Já os vereadores da chapa vitoriosa, entendem que o que aconteceu foi um equivoco e que Ontoniel não tinha intenção de votar na chapa 2, já que o mesmo faz parte da chapa 1 na condição de vice-presidente.

Abaixo confira o parecer da assessoria jurídica.

HW COMUNICAÇÃO