Álvaro Filho nunca deixou de demonstrar o amor que tem pela Paraíba, estado em que nasceu. 

Em entrevista ao Terra Olímpicos, ele já saiu falando do local antes mesmo de comentar a participação nos Jogos Pan-Americanos de Toronto 2015. 

Após aderrota na final do vôlei de praia masculino para a dupla mexicana Virgen e Ontiveros, por 2 sets a 1, o brasileiro mais uma vez mostrou que carrega suas raízes no peito e também na cabeça. 

Tanto que foi dar entrevistas com um pequeno chapéu de couro, típico da região que nasceu.

Chamou a atenção dos jornalistas, que o entrevistavam minutos antes, que o chapéu tinha sumido. O brasileiro recebeu a prata até com o semblante meio fechado. 

Após a entrega de todas as medalhas , surgiu novamente o chapéu para o jogador tirar fotos. Depois da cerimônia, Álvaro disse que a briga para conseguir ter o objeto no pódio foi mais difícil do que o duelo contra os mexicanos.

“O chapéu de couro é uma forma de tentar representar uma parte do Brasil, que é o Nordeste, que é a Paraíba. É uma promessa que fiz ao meu pai de tentar subir a todos os pódios que chego com ele. Meu pai ia cobrar por muito tempo se eu não conseguisse, mas o chapéu apareceu do meio para o fim da premiação, uma mulher me trouxe, senão eu ia apanhar muito”, disse rindo.

HW COMUNICAÇÃO Com Terra

VEJA VÍDEO CLICANDO AQUI.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here