O Brasil enfrenta Equador e Colômbia na próximas duas partidas das eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo de 2018, nos dias 31 de agosto, em Porto Alegre, e 5 de setembro, em Barranquilla. 
As duas partidas, porém, serão praticamente “amistosos de luxo” para a equipe comandada por Tite, já que a seleção está classificada para o Mundial desde 29 de março, quando venceu o Paraguai por 3 a 0 e carimbou o passaporte para ir à Rússia.
Mas, mesmo “jogando por nada”, o Brasil pode acabar sendo diretamente responsável por deixar a Argentina, sua maior rival história, fora da próxima Copa.
E a combinação de resultados para que isso ocorra não é nada impossível… 
Veja abaixo como isso pode acontecer:
Como o Brasil pode causar tragédia à Argentina
Nesta terça-feira (29/08), a CAS (Corte Arbitral do Esporte) rejeitou os recursos da Bolívia pela punição imposta após escalação de jogador irregular nas partidas contra Peru e Chile, pelas eliminatórias sul-americanas.
Com isso, peruanos e chilenos asseguraram vitória por 3 a 0 sobre os bolivianos, e quem se dá mal por enquanto é a Argentina. Afinal, o Chile segue com 23 pontos, um à frente dos bicampeões mundiais, que hoje estariam na repescagem para o Mundial da Rússia.
A situação da equipe agora comandada por Jorge Sampaoli, porém, pode piorar se o Brasil resolver jogar o restante das eliminatórias em ritmo de amistosos, já que o time de Tite irá enfrentar três dos quatro rivais dos argentinos pela vaga direta no Mundial: Equador, Colômbia e Chile. 
Derrotas brasileira para qualquer um desses seriam verdadeiros desastres para a Albiceleste, que se complicaria ainda mais na classificação.
O primeiro adversário verde e amarelo nesta série será o Equador, atual 6º colocado na tabela, logo atrás da Argentina. No caso de uma vitória equatoriana em Porto Alegre, somada a um nada impossível revés dos argentinos para o Uruguai, nesta quinta-feira, em Montevidéu, a equipe andina passará os celestes na tabela, deixando os comandados de Sampaoli fora da zona de classificação, incluindo repescagem.
Depois, o Brasil encara a Colômbia, que está em 2º lugar das eliminatórias, a dois pontos de vantagem da Argentina, e depois,  na última rodada, o Chile, que está um ponto acima da Argentina e briga palmo a palmo com Messi, Di María e cia. pela vaga direta na Copa da Rússia. 
Dos últimos adversários brasileiros, o único que não terá qualquer influência na luta dos argentinos para irem ao Mundial é a Bolívia, vice-lanterna das eliminatórias e já sem qualquer chance de classificação.
Já a Argentina tem duas pedreiras (Uruguai e Equador fora de casa) e duas teóricas “mamatas” (Venezuela e Peru em casa) até o final. E, para piorar, seus adversários diretos pela vaga tem mais “barbadas”. O Uruguai, por exemplo, pega Paraguai, Venezuela e Bolívia, enquanto a Colômbia encara Venezuela, Paraguai e Peru.
Veja os jogos decisivos de cada time até o final
BRASIL
– Equador (6º): 31/08, em casa
– Colômbia (2ª): 05/09, fora de casa
– Bolívia (9ª): 05/10, fora de casa
– Chile (5º): 10/10, em casa
ARGENTINA
– Uruguai (3º): 31/08, fora de casa
– Venezuela (10ª): 05/09, em casa
– Peru (7º): 05/10, em casa
– Equador (6º): 10/10, fora de casa
COLÔMBIA
– Venezuela (10ª): 31/08, fora de casa
– Brasil (1º): 05/09, em casa
– Paraguai (8º): 05/10, em casa
– Peru (7º): 10/10, fora de casa
URUGUAI
– Argentina (5ª), 31/08, em casa
– Paraguai (8º): 05/09, fora de casa
– Venezuela (10ª): 05/10, fora de casa
– Bolívia (9ª): 10/10, em casa
CHILE
– Paraguai (8º): 31/08, em casa
– Bolívia (9ª): 05/09, fora de casa
– Equador (6º): 05/10, fora de casa
– Brasil (1º): 10/10, fora de casa
EQUADOR
– Brasil (1º): 31/08, fora de casa
– Peru (7º): 05/09, em casa
– Chile (5º): 05/10, fora de casa
– Argentina (6ª): 10/10, em casa
HW COMUNICAÇÃO
Fonte: ESPN

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.