Header Ads

SITE LANDRES

Combate à Corrupção: em 80% das obras há desvio de recurso público

Governos Municipais, Estaduais e Federais assinam diariamente milhares ordens de serviços para obras e serviços prestados às gestões. Na contramão dos benefícios que podem ser levados à população, vem um lado criminoso: a corrupção.

Dados do Tribunal de Contas da União apontam que quase 80% dos serviços públicos são alvos de corrupção. Para destacar tal ‘malefício’, o mundo lembra neste 9 de dezembro o Dia de Combate à Corrupção, estabelecido pela Organização das Nações Unidas.

Na Paraíba, os Mistérios Públicos Estadual e Federal vêm atuando diariamente na tentativa de colocar fim no que acabou virando uma ‘tradição’ entre os políticos que insistem em não fazer valer a confiança que foi lhe posta.

Segundo o procurador-chefe do MPF na Paraíba, Marcos Queiroga, apesar de tudo que é feito, ainda é necessário avançar.


“É preciso avançar no combate à corrupção. Agora, essa luta depende da participação popular, já que o povo é detentor do poder, é preciso que fiquemos atentos aos nossos representantes”, declarou à reportagem do Portal MaisPB. 

Na visão do procurador, o Mistério Público Federal conseguiu nos últimos três anos, em parceria com outros órgãos, intensificar operações para combater fraudes.

“Relembro as operações Andaime, Fanes, Dom Bosco, Desumanidade, Terra Arrasada, Clone, Caneiro e Titânio. Facilmente pode-se notar que a maioria envolve desvio em obras públicas”, destacou.

Por outro lado, o procurador-geral da Justiça na Paraíba, Francisco Seráphico, acredita que em uma maior união por meio de entidades que trabalham na tentativa de exterminar tal crime.


“Precisamos integrar cada vez mais os órgãos responsáveis pelo combate à corrupção, objetivando unir esforços em defesa da sociedade e trazendo resultados mais efetivos na defesa do patrimônio público e da moralidade administrativa.  E para alcançar esse resultado e promover ações concretas, harmônicas e coordenadas, estaremos constituindo, internamente, um comitê permanente de monitoramento das atividades e de nossas ações, com a elaboração de projetos de prevenção e repressão da corrupção nas esferas públicas e privadas. “, justificou à reportagem do Portal Mais PB.

Dentre o que pode ser um fator para tal união, Seráphico destaca ações para coibir fraudes no próximo processo eleitoral.

“Temos que reprimir à corrupção nas eleições de 2018”, destacou.

HW COMUNICAÇÃO
Fonte: Mais PB