O dia 03 de junho sempre será uma data muito lembrada pala população de Paulista, pois, foi neste dia que no ano de 2006 a cidade ficou sem um dos seus mais ilustres filhos, Padre Sólon Dantas de França.

Padre Sólon nasceu no Sítio Várzea da Serra, Município de Pombal – PB, hoje pertencente a Paulista-PB. Filho do poeta Belarmino de França e Emerentina Dantas de Sousa, recebeu o sacramento do batismo na igreja de São José de Paulista no dia 30 de Julho de 1935, pelo Pe. Valeriano Pereira.

Em 1946 mais precisamente no dia 10 de Março, Frei Bruno celebrou sua primeira comunhão e aos 02 de setembro daquele mesmo ano recebeu o sacramento da crisma celebrada pelo então Bispo da Diocese de cajazeiras Dom Henrique Gelain.

Iniciou seus estudos no sítio Várzea da Serra, na casa de seus pais aos 10 anos de idade e como professor teve o Victor de França. Depois passou a estudar no Sítio Córrego do Velame com o professor Luiz de Apolinário, e conclui seus estudos em Várzea da Serra com o instrutor José Jerônimo Neto na casa de Massilon Bananeira.

Em 12 de Novembro de 1954, por ocasião de uma missa em Paulista recebeu de Dom Zacarias Rolim de Moura (Bispo de cajazeiras), o convite para morar no seminário de Cajazeiras como seminarista, aceitou, e no dia 27 de fevereiro de 1955 ingressava no seminário e foi recebido pelo Pe. Luiz Gualberto de Andrade (reitor do seminário naquela época), permaneceu ali até o ano de 1961, era sem dúvida a obediência ao chamado de Deus que diz: “… Muitos são chamados e poucos os escolhidos“.

Por volta 1962 foi transferido para o seminário Provincial de Fortaleza-CE, permanecendo até o ano de 1966. Sua primeira tonsura (admissão ao clero) realizou-se aos 12 dias do mês de Janeiro de 1965, celebrada pelo D. Zacarias Rolim de Moura auxiliado pelo Mons. Oriel Antonio Fernandes (vigário de Pombal – PB), e já no ano seguinte recebeu as duas ordens menores aos 10 de janeiro, na catedral de Nossa Senhora da Piedade em Cajazeiras – PB, e também ali as duas ordens ultimas menores aos 08.01.1967, passando a ser chamado minurista.

Foi quando ficou na sede da diocese para concluir os Tratados de graça e sacramentos em Moral e teologia, ministrados por D. Zacarias, Mons. Vivente Freitas, Pe. Gervásio Queiroga e Pe. Walter Strapaguelti.

No dia 08 de dezembro de 1967 realizou-se o seu subdiaconato, na igreja de Nossa Senhora dos Remédios em Catolé do Rocha-PB, e em 12 de janeiro de 1968 na paróquia de Nossa Senhora da Piedade foi o seu Diaconato. No dia 10 de Julho de 1968 sua ordenação Sacerdotal, pelas mãos do senhor bispo diocesano da época na Matriz de São José de Paulista. Sua primeira missa foi às 17hs do dia 15 de Julho na igreja de Nossa Senhora da Piedade. No dia 15 de Julho de 1969 Assume como pároco da Paróquia de Nossa Senhora do Bom Sucesso em Pombal e também como administrador da Paróquia de São José em Lagoa, Paróquia de São José em Paulista e São Sebastião em são Bento e por diversas vezes assumiu a administração da Paróquia de Santa Rita de Cássia em Coremas, pois era que sempre estava em vacância.

Padre Sólon Dantas de França foi uma das figuras mais ilustres da região de Pombal, pois foi Professor de Português, educação Moral e Cívica(no seminário), e em nossa cidade, foi professor das escolas estaduais Arruda Câmara e João da Mata, do Colégio Josué Bezerra (Um dos melhores da época na região), diretor do Orfanato Nossa Senhora de Fátima, Escola Paroquial São Vicente de Paula, Diretor Fundador da Creche Pequeno Príncipe e Diretor do Hospital e Maternidade Sinhá Carneiro, além das diretorias que assumiu na cidade de Paulista no Hospital Emerentina Dantas e na Escola Belarmino de França além de sua forte liderança política em nossa cidade.

Este homem sempre foi um visionário, um lutador… Um sonhador! E por isso trouxe para Pombal as Faculdades de Ciências Contábeis e Agronomia, sempre acompanhado pelo amigo Felix do projeto cooperar, juntos uniram forças, brigaram com muitos para garantir a permissão para o funcionamento pelo MEC, e eles conseguiram! Um sonho realizado! No entanto ele dirigiu por poucos meses a FAP (Faculdade de Agronomia de Pombal), em decorrência de um problema de saúde, foi levado a si afastar de suas atividades, tanto paroquiais quanto administrativas e anos depois nos deixou e rumou ao Pai celeste que tantas vezes pregou em seus sermões durante as missas.

A realidade é que quem conheceu o Pe. Sólon sempre viu nele um homem de coração bondoso e caridoso, que o digam os inúmeros que foram ajudados por ele com bolsas de estudos ou nos apartamentos dos hospitais que administrou as oportunidades de emprego que criou ou ainda aqueles que partilharam de alguma refeição com ele, pois jamais ceava sozinho.

É claro que tinha um temperamento forte, mas sabia si desculpar a sua maneira, Puxando conversa e tentando te fazer sorrir com aquele jeito implorando no íntimo por ser desculpado pelos esturros ou discussão de horas atrás, assim era ele, uma pessoa simples uma pessoa comum. Muito Obrigado Pe. Sólon pela oportunidade oferecida a minha pessoa, que Deus te dê o repouso eterno, para seres felizes enfim!!!

O texto exibido é uma adaptação do livro “25 anos de sacerdote”, por Paulo Sérgio. Apresentado no blogger Contando Saudade

HW COMUNICAÇÃO

com Fala PB